Ode ao Dois de Julho – Parte 2

Facebook Twitter

Maria Quitéria declama mais duas estrofes de “Ode ao Dois de Julho”, poema de Castro Alves sobre a Batalha de Pirajá.

Não! Não eram dois povos que abalavam
Naquele instante, o solo ensangüentado…
Era o porvir – em frente ao passado,
A Liberdade – em frente à Escravidão,
Era a luta das águias — e do abutre,
A revolta dos pulsos – contra os ferros,
O pugilato da razão — com os erros,
O duelo da treva – e do clarão!…

No entanto a luta recrescia indômita…
As bandeiras — como águias eriçadas —
Se abismavam com as asas desdobradas
Na selva escura da fumaça atroz…
Tonto de espanto, cego de metralha,
O arcanjo do triunfo vacilava…
E a glória desgrenhada acalentava
O cadáver sangrento dos heróis!…

Esta entrada foi publicada em Artes e marcada com a tag , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Ode ao Dois de Julho – Parte 2

  1. Glen Pontes disse:

    Parabens pela iniciativa, escolha e pela pessoa que recitou tão belo poema

  2. Rodrigo Almeida disse:

    Maravilhosa iniciativa!!

  3. EDIMARA disse:

    PARABÉNS!ACRESCENTAR CONTEÚDO A POPULAÇÃO JUNTO COM ARTE É UM PRECIOSO TRABALHO;PARA A ETERNIDADE, QUERO Q MEU FILHO VEJA!!1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>