Panorama mundial em 1822

Facebook Twitter

O século XIX entrou para a história pela Revolução Industrial. Foi a época em que o homem inventou o motor, primeiro à explosão e depois o elétrico. A força de trabalho mecânica, mais potente e abundante que a humana, fez surgir a indústria, e logo produtos industrializados e as próprias fábricas inundaram o planeta e iniciaram uma nova era de globalização.

Uma das várias fábricas que surgiram durante a Revolução Industrial.

Na onda anterior, por volta de 1500, Portugal e Espanha interligaram o mundo por via marítima e comercial – colonizaram a América e a conectaram ao mundo conhecido dos europeus, mostrando na prática que a Terra é redonda. As colônias encheram de ouro as economias dos ibéricos. Em 1800, o Brasil já sustentava Portugal há muito tempo. Nessa época, durante o século XIX, a Inglaterra já havia investido numa Marinha Mercante, tornado-se a maior potência do Ocidente e dominado boa parte das rotas existentes para o comércio naval. Juntando isso ao fato de que boa parte da riqueza que o Brasil mandava para Portugal ia parar na Inglaterra, por conta de dívidas cada vez maiores dos lusos para com os bretões, a terra da Rainha pôde investir maciçamente em pesquisa e tecnologia.

José Bonifácio, um brasileiro que trabalhava para Portugal e era tido como um dos homens mais sábios de sua época, trabalhou para os ingleses e seus estudos em mineralogia contribuíram para que a Inglaterra entrasse para a História como a sede inicial da Revolução Industrial.

Nesse cenário, em 1822, o Brasil era um país emergente, ainda ligado a Portugal, e à Inglaterra, esta sendo o principal cliente dos nosso produtos – açúcar e algodão. O que muitos produtores brasileiros, entre eles os usineiros do Recôncavo na Bahia, perceberam foi que era possível eliminar um intermediário e maximizar os lucros. O fato de esse intermediário ser Portugal, a sede do governo, era um problema a ser lidado no tempo propício.

E esse momento estava chegando. De 1808 a 1819, quase toda a América do Sul tinha se tornado independente. O Iluminismo, vindo da própria Europa, conclamava os homens e nações a serem livres. Os levantes separatistas já ocorriam há quase um século no Brasil. O príncipe Dom Pedro I era um homem feito e demonstrava cada vez mais seu amor pelo Brasil. E Portugal jogava cada vez mais pesado contra a Independência, o que aumentava o sentimento nacionalista. Como sabemos, tudo isso culminou com o processo de separação dos dois países durante os anos de 1822 e 1823.

Esta entrada foi publicada em Contexto histórico e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>