Madeira de Melo e o Cerco a Salvador

Facebook Twitter

Câmara de Santo Amaro - essencial para a resistência formada no Recôncavo baiano

A tomada de controle pela força da cidade de Salvador por Madeira de Melo provocou a reação da população baiana contra presença portuguesa. Após os conflitos de março as cidades do Recôncavo passaram a organizar a resistência e incitar, entre os meses de maio e junho, o reconhecimento do Príncipe Regente.

No dia 12 de junho de 1822, foi marcada uma sessão na Praça da Câmara de Salvador, atual praça Tomé de Souza, para a aclamação do Regente, mas a reunião foi proibida e todas as ruas de acesso à praça bloqueadas pelas tropas portuguesas. Assim, no dia 14, realizou-se uma sessão na casa de Câmara e Cadeia da Cidade de Santo Amaro que decidiu por reconhecer a autoridade do Príncipe e conclamou todas as outras cidades do Recôncavo a seguirem seu exemplo. Continue lendo

Publicado em Contexto histórico | Com a tag , , , , , | 1 comentário

Madeira de Melo: emissário da Cortes na Bahia

Facebook Twitter

Obra de Oscar Pereira da Silva representa deputados reunidos em Lisboa frente a Revolução Portuguesa de 1820

A Oligarquia baiana sempre foi considerada uma das mais conservadoras do país. Para entender isso, basta considerarmos que praticamente a repressão a todos os levantes ocorridos nesta província foi apoiada pelos Senhores de Engenho do Recôncavo. Então o que levaria esta elite conservadora a se levantar contra a metrópole de tal maneira que os Proprietários organizaram exércitos para combater os portugueses?

Quando a Revolução do Porto, em Portugal, eclodiu e tornou-se vitoriosa em 1820, a Bahia apoiou a formação das Cortes[1] e suas reivindicações. Essas relações começaram a se deteriorar quando o Parlamento Português passou a exigir o retorno do Brasil à condição de colônia, o que significaria um duro golpe para a Oligarquia deste lado do Atlântico, pois, além da perda do direito de negociar diretamente com outras nações, sofreria um decréscimo considerável de seu poder político. Continue lendo

Publicado em Contexto histórico | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Lord Cochrane: Herói ou vilão? (Parte 2)

Facebook Twitter

O vice-almirante Armando de Senna Bittencourt, diretor do patrimônio histórico e documentação da Marinha do Brasil, fala sobre outros assuntos polêmicos que parecem fazer parte da essência do grande Lord Cochrane, além de pincelar a importante participação de João das Botas na campanha de Independência da Bahia.

Publicado em Heróis | Com a tag , , , , , | 1 comentário

#Animação – Maria Quitéria e João das Botas

Facebook Twitter

Maria Quitéria e João das Botas vão à guerra em nome da Independência da Bahia.

Nossa animação sobre essa passagem histórica está quase pronta.

Fiquem ligados e boas festas! :)

Publicado em Artes | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

A Cabocla

Facebook Twitter

Figura da Cabocla pode ser encontrada na Câmara Municipal de Santo Amaro, BA.

Hoje, a cabocla é uma figura de presença garantida no cortejo do 2 de Julho, mas nem sempre foi assim: até 1946, o Caboclo desfilava sozinho pelas ruas de Salvador. O motivo da inserção da Cabocla no cortejo foi um pedido do então Presidente e Comandante de Armas da Província da Bahia, o Tenente José de Souza Soares de Andrea, que considerava o Caboclo, por sua postura agressiva e dominadora, uma humilhação aos portugueses.

A Cabocla foi introduzida com o objetivo de substituir o Caboclo por uma figura mais terna e conciliadora, porém a população recusou a retirada do índio, e as duas imagens saíram no préstito. A população acolheu esta contribuição, incluindo a imagem no Panteão do 2 de Julho e associando a ela várias propriedades, inclusive o poder de realizar promessas. Tornou-se comum o depósito de bilhetes com pedidos nos carros, tanto da Cabocla como do Caboclo, no período em que eles ficam expostos na praça do Campo Grande, entre 2 e 5 de Julho.

Continue lendo

Publicado em Heróis | Com a tag , , , , , , | 1 comentário

Lord Cochrane: Herói ou vilão? (Parte 1)

Facebook Twitter

O vice-almirante Armando de Senna Bittencourt, diretor do patrimônio histórico e documentação da Marinha do Brasil, fala sobre o heróico, embora controverso, Lord Cochrane, peça fundamental para a Independência e unificação territorial do Brasil.

Publicado em Heróis | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Labatut, O General da Independência

Facebook Twitter

O general francês Pedro Labatut comandou o Exército Pacificador brasileiro.

Pouco se sabe sobre a vida de Pedro Labatut antes da sua vinda ao Brasil, a convite de D. Pedro I e José Bonifácio, para formar e comandar o Exército Pacificador durante a Independência do Brasil na Bahia. Veterano do exército napoleônico, existem relatos de sua participação nas guerras de Independência da América Espanhola, quando recebeu a alcunha de “Pirata do Caribe”.

Em 14 de julho de 1822, Labatut parte do Rio de Janeiro e, acompanhado por alguns regimentos e armas, desembarca em Alagoas antes de fazer o caminho de volta à Bahia por terra. Após reunir mais homens em Pernambuco, o General Labatut e seu Exército Pacificador chegaram à Feira do Capuame, atualmente município de Dias D’Ávila, no dia 28 de outubro. Este era o local onde os milicianos brasileiros, comandados pelo coronel Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque D’Ávila Pereira, haviam montado seu quartel general. No mesmo dia foi passado a Labatut o comando das operações.

Continue lendo

Publicado em Heróis | Com a tag , , , , , , , | 5 comentários

As ruínas da Escola Agrícola da Bahia

Facebook Twitter

No passado, a escola localizada em São Francisco do Conde contava com bibliotecas, laboratórios e um museu de História Nacional. Hoje, mato.

Continue lendo

Publicado em Curiosidades | Com a tag , , , , , | 2 comentários

O Caboclo

Facebook Twitter

Na foto, a imagem do Caboclo no Largo da Lapinha durante o desfile do Dois de Julho. Foto: Xando P. /Ag. A Tarde, em 02/07/2006.

A figura do Caboclo representa a vitória nas Guerras de Independência e o surgimento da nova nação, fazendo parte do panteão cívico juntamente com os heróis do Dois de Julho. É uma figura extremamente popular, que agrega uma vasta gama de significados ultrapassando, muitas vezes, o seu sentido cívico.

Esta figura está presente nas comemorações da Independência da Bahia desde 1824, quando a população, para relembrar a entrada do exército pacificador em Salvador, enfeitou uma carreta tomada do inimigo na batalha de Pirajá, puseram sobre ela um velho de descendência indígena e levaram-na, em cortejo, da Lapinha ao Terreiro de Jesus. O ritual se repetiu no ano seguinte e, em 1826, foi esculpida a imagem do caboclo que circula nas ruas até hoje.

A identificação popular dessa figura reside no fato dele representar os heróis que lutaram na Independência e que não são comumente lembrados: os soldados esfarrapados, os batalhões de índios usando armas tribais, de negros escravos e libertos, os sertanejos, à população voluntária que se organizou por conta própria em grupos para lutar, e que formaram maior contingente das tropas da Bahia.

Continue lendo

Publicado em Heróis | Com a tag , , , , , , , | Deixar um comentário

Maria Graham: testemunha da Independência do Brasil

Facebook Twitter

Elevador Lacerda à esquerda; Mercado Modelo à direita

Apesar de hoje a Bahia ser um dos principais destinos turísticos do Brasil, nem sempre foi assim: a vinda de estrangeiros ao Brasil era restrita até 1808. Somente com a chegada da Família Real e a abertura dos portos às nações amigas, os viajantes de outros países puderam visitar o Brasil, e a Bahia, por ser um dos principais portos da época, tornou-se praticamente parada obrigatória dos navios estrangeiros.

Após a abertura dos portos, pintores, estudiosos, naturalistas e viajantes passaram pelas terras baianas e registraram suas impressões em seus diários, entre eles nomes famosos como Charles Darwin em sua viagem de estudos a bordo do navio Beagle, que resultou na publicação da Origem das Espécies.

Continue lendo

Publicado em Curiosidades | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

O 20 de Novembro: Independência, Liberdade e Democracia

Facebook Twitter

Retrato de negros de origens variadas por Jean-Baptiste Debret

Após sua independência, o Brasil manteve certas características únicas diante do mundo contemporâneo como seu território continental unido. Suprimindo as tendências regionalistas conhecidas como Federalismo, criou a estrutura de um Império Monárquico de feições absolutistas - o único das Américas – e manteve-se escravocrata. Todos esses aspectos são, em grande parte, fruto de um processo de independência vertical, conduzido de cima para baixo.

Continue lendo

Publicado em Contexto histórico | Com a tag , , , , , , , | Deixar um comentário

Mary Del Priore – Salvador no Século XIX (Parte 2)

Facebook Twitter

Religiosidade, mestiçagem, escravos de ganho: “um caldeirão de culturas” é como a historiadora Mary Del Priore descreve a Salvador do século XIX.

Publicado em Contexto histórico | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário

Senhor do Bonfim, o Santo Guerreiro

Facebook Twitter

“Até aqui, nos ajudou o Senhor”[1]

As tradições ligadas ao Dois de Julho muitas vezes se desdobram para vários aspectos da vida dos baianos, transpassando em muito a limitação do acontecimento histórico.

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim em Salvador

Uma dessas heranças culturais diz respeito ao Senhor do Bonfim, figura central de uma das mais tradicionais festas populares da Bahia.

Muitas pessoas acreditam que o Padroeiro da Bahia apoiou os soldados brasileiros na luta contra os portugueses. Durante a Guerra pela Independência do Brasil na Bahia, os portugueses retiraram a imagem do Santo de sua basílica e por isso, na visão dos devotos, o Santo tomou o partido dos brasileiros. O Senhor do Bonfim foi devolvido à igreja após a expulsão das tropas lusitanas. A imagem, que representa Jesus Cristo “venerado na visão de sua morte”[2], foi trazida de Portugal pelo Capitão Theodósio Rodrigues de Faria no ano de 1745 e colocada em seu local definitivo após a construção da Igreja no alto da colina em 1772.

Continue lendo

Publicado em Curiosidades | Com a tag , , , , | 5 comentários

Mary Del Priore – Salvador no Século XIX (Parte 1)

Facebook Twitter

Salve Salvador!

Dois séculos atrás, quão diferente era a capital baiana? A historiadora Mary Del Priore faz um retrato da Salvador do século XIX.

Publicado em Contexto histórico | Com a tag , , , , , , , | Deixar um comentário

Maria Quitéria se transforma em Soldado Medeiros

Facebook Twitter

O ano é 1822, e o Brasil recruta voluntários no Recôncavo baiano para expulsar as tropas portuguesas de Salvador.

A atriz Majorie Gerardi é Maria Quitéria na noite anterior à sua fuga, contra a vontade do pai, para a cidade de Cachoeira, Bahia, onde ela se junta ao Batalhão dos Periquitos, comandando pelo avô de Castro Alves.

Publicado em Variedades | Com a tag , , , , , , , , , , | 2 comentários